CENTRO DE IMUNIZAÇÕES E CLÍNICA

Ética em Imunizações e Atendimento Médico, desde 1998

Av. Vereador José Diniz, 3457 - 5o. andar

Campo Belo Medical Center

É  (11) 5041-1248 / 5531-5362

 HPV Nomes Comerciais Ig Anti Rh Eficácia das vacinas

Atendemos de 2a. a 6a. feiras das 9:00h às 17:30h e aos Sábados das 8:00h às 12:00h

WIR SPRECHEN DEUTSCH - ENGLISH IS SPOKEN

 

Somos acreditados pela

Somos credenciados pela

  

 

 

 

VACINAS DISPONÍVEIS

BCG
Hepatite B
Difteria, Tétano, Coqueluche e Hemófilo tipo B
Antitetânica, Dupla tipo Adulto e Tríplice tipo Adulto
Poliomielite
Rotavírus
Antipneumocócicas
Antimeningocócicas

Sarampo, Caxumba e Rubéola

Varicela
Hepatite A
Febre Amarela
Influenza (Gripe)
Raiva
HPV
Cólera e Diarréia dos Viajantes

Febre Tifoide

Realizamos também o Teste PPD (Mantoux)

O quanto de proteção pode-se esperar

Para a prevenção da Doença Hemolítica do Recem Nascido

Como são conhecidas nossas vacinas no Mundo
Informações sobre Vacinas: vacinas@ciat.com.br

 

Vacina BCG – contra a Tuberculose

Uma das mais antigas vacinas ainda hoje é utilizada em todo o Brasil para a prevenção de formas sistêmicas e graves da Tuberculose (Meningite tuberculosa, Tuberculose miliar, etc.), com eficácia de quase 100%. Contra a tuberculose pulmonar isolada seu índice de proteção é bem menor, cerca de 30%.

Em países da Europa e América do Norte não é utilizada rotineiramente, mas em regiões onde a Tuberculose é endêmica – como o Brasil - seu uso se justifica. Aplicada em dose única nos primeiros dias de vida, costuma deixar pequena cicatriz no local de injeção. Duas técnicas de aplicação têm sido utilizadas: a intradérmica e a percutânea. A segunda teria a vantagem de não deixar cicatrizes e de poder ser aplicada por profissionais sem treinamento específico, mas não é recomendada pelas autoridades sanitárias, por estimular em menor grau o sistema imunológico em relação à tradicional intradérmica.VOLTA

Vacina contra a Hepatite B

Utilizada para prevenir a hepatite B em qualquer idade. É aplicada rotineiramente em esquema de 3 doses. Atualmente recomenda-se que as crianças recebam a primeira dose nas primeiras 24 horas de vida, após o parto. A segunda aplicação é realizada 1 a 2 meses após a primeira e a terceira, após 6 meses. Em sua composição existem fragmentos virais obtidos por engenharia genética, que promovem imunidade em cerca de 95% dos casos, com segurança e poucos efeitos colaterais.

Crianças a partir de dois anos de vida e adultos, que necessitarem, pode receber a vacina combinada contra as Hepatites A e B, em regime de três doses, acarretando maior proteção e menor número de aplicações.

VOLTA

Vacina Tetravalente – Difteria, Tétano, Coqueluche e Hemófilo B (DTP+Hib)

Combina as vacinas Tríplice (DTP-Difteria, Tétano e Pertussis ou coqueluche) e a anti Haemophilus influenzae b. É indicada para crianças aos 2, 4 e 6 meses de vida, mais um reforço aos 15 meses.  Aos 5 anos de idade é aplicada apenas a DTP.

Devido às potenciais complicações decorrentes da presença de fragmentos de células da bactéria Bordetella Pertussis (causadora da Coqueluche) em sua fórmula clássica, foi desenvolvido o tipo Acelular (DTaP), mais purificado, com menos risco de reações.

Esta pode ser combinada às Vacinas inativada contra a Pólio (IPV) e Hemófilo (Hib)sendo chamada de Pentavalente (DTaP+IPV+Hib), e também à vacina contra a Hepatite B ou Hexavalente (DTaP+IPV+Hib+HepB). Ambas combinações promovem menos desconforto à criança sem perda da eficácia.

VOLTA

Vacinas Antitetânica, Dupla tipo Adulto e Tríplice bacteriana do tipo Adulto

A vacinação contra o Tétano em adultos consta de 3 doses básicas, mais um reforço a cada dez anos. Pode ser usada de forma isolada – Toxóide Tetânico (TT)  ou combinada com o Toxóide diftérico – Dupla Adulto (dT). Mais recentemente foi desenvolvida a vacina Tríplice bacteriana do tipo adulto (dTaP) que contém também fragmentos inativados da bactéria da Coqueluche (Bordetella Pertussis). As fórmulas TT e dT são extremamente eficazes, mas tem como efeito indesejado a dor no local de injeção. Já a dTaP, além de proteger também contra a Coqueluche apresenta menos reações, porém seu custo é mais elevado.VOLTA

Vacinas Anti Poliomielite

Dois tipos de vacina estão disponíveis atualmente:

Vacina Oral contra a Pólio (OPV ou Sabin) é composta de vírus vivos, geralmente utilizada em campanhas.

Vacina Inativada contra a Pólio (IPV ou Salk), injetável, composta de vírus inativados e geralmente associada com outras vacinas em preparações combinadas.

A eficácia de ambas é cerca de 98%. São preconizadas 5 doses na infância.

A primeira oferece maior comodidade de aplicação e custo muito accessível e a segunda é mais purificada e segura.VOLTA

Vacina contra o Rotavírus

A vacina contra o Rotavírus, de recente introdução no mundo, apresente eficácia de mais de 80% na prevenção da diarréia grave e redução de cerca de 90% dos riscos de hospitalização.  É aplicada por via oral, em três doses, para bebês com idade entre seis semanas e seis meses. As doses devem respeitar um intervalo mínimo de quatro semanas. Não existem dados que comprovem sua segurança quando aplicada após os oito meses de vida, devendo, portanto, ser evitada.VOLTA

Vacinas Antipneumocócicas

Atualmente existem dois tipos de vacinas antipneumocócicas:

A vacina não conjugada (23 valente): protege contra 23 sorotipos da bactéria. Tem eficácia comprovada apenas em pessoas com mais de 2 anos de vida e sua proteção persiste por quatro a cinco anos.

Vacinas conjugadas (10-valente e 13-valente): protegem contra 10 ou 13 sorotipos (conforme o laboratório produtor), porém os mais freqüentes na infância e potencialmente mais graves. São eficazes em crianças a partir de dois meses de idade, e proporcionam imunidade mais duradoura. O número de doses varia de acordo com a idade, sendo dose única a partir dos dois anos de vida. Um fator limitante para o seu uso rotineiro é o preço - ainda elevado. Porém ao se considerar a gravidade da doença, os custos de seu tratamento e as potenciais seqüelas, justifica-se o seu uso .VOLTA

Vacinas Antimeningocócicas

Três tipos de vacinas estão atualmente disponíveis no Brasil. Vacinas conjugadas contra os Meningococos de sorogrupos C, ACWY e B

Possuem um esquema de aplicação diferente para cada faixa etária e serão recomendadas pelo seu médico conforme a situação epidemiológica de cada país considerado, exibido no mapa.

.VOLTA

Vacina Tríplice Viral – Sarampo, Caxumba e Rubéola ou SCR

Composta de vírus vivos atenuados é aplicada por via subcutânea aos 12 meses de vida, com reforço aos 5 anos. Pode ser aplicada também em adultos, principalmente em mulheres em idade fértil para a prevenção da Síndrome da Rubéola Congênita que atinge os recém nascidos. VOLTA

Vacina contra a Varicela

A vacina, composta por vírus vivos e atenuados, já é utilizada há mais de 20 anos em países como o Japão e Estados Unidos e confere níveis elevados de proteção, com ótima tolerância. É indicada para todas as crianças acima de 1 ano de vida e adultos que nunca tiveram a doença, salvo situações especiais de imunodepressão ou alergias. Se aplicada até cinco dias após o contágio pode evitar a doença, ou pelo menos atenuá-la. O esquema vacinal para Crianças consiste em uma dose, se possível aos 12 meses de vida, mais um reforço aos 5 anos de idade. Adolescentes e Adultos recebem apenas uma dose.  VOLTA

Vacina contra a Hepatite A

Pode ser aplicada em qualquer pessoa a partir do primeiro ano de vida, geralmente em esquema de duas doses, com intervalo de seis meses entre a primeira e a segunda. É constituída de vírus inativados, e sua eficácia de aproximadamente 100%.

Existe a vacina combinada que protege contra as hepatites A e B em uma só aplicação, em esquema de três doses. A eficácia preservada, com menor número de aplicações.

VOLTA

Vacina contra a Febre Amarela

Vacina de uso restrito aos habitantes de áreas endêmicas ou aos que para elas se dirigem. Constituída de vírus vivos e atenuados, pode se aplicada por via subcutânea a partir dos 9 meses de idade, pelo menos 10 dias antes da viagem. É contra-indicada para gestantes e pacientes imunossupressos. Sua proteção persiste por 10 anos, após os quais, e mantidos os riscos ambientais, deve ser reaplicada como reforço. VOLTA

Vacina Antigripal

Sua fórmula é readequada anualmente em decorrência das mutações genéticas que ocorrem no Vírus da Influenza em todo o mundo. É constituída de fragmentos virais, portanto não causa a Gripe em qualquer pessoa. Pode ser aplicada a partir de 6 meses de vida. É recomendada anualmente, preferencialmente nos meses que antecedem o inverno.  VOLTA

Vacina contra a Raiva

Utilizada em situações muito especiais, sua fórmula atual –células VERO, obtida da cultura do vírus em células humanas de laboratório, difere em muito da antiga vacina (Fuenzalida-Palacios),que causava um grande número de reações. Pode ser aplicada em regime de pré- exposição ou pós- exposição, em esquema de 3 a 5 doses.  VOLTA

 Vacina contra o HPV

De recente desenvolvimento, é composta de partes do HPV – o Vírus do Papiloma Humano - modificados geneticamente. Atualmente, já existem no Brasil duas vacinas disponíveis: a Gardasil, da Merck Sharp & Dohme e a Cervarix, da GlaxoSmithKline. Em ambas fórmulas estão os subtipos responsáveis por 70% dos casos de Câncer de Colo Uterino. A Gardasil, entretanto, apresenta em sua fórmula também componentes que evitam em até 90% as Verrugas Genitais. Recomenda-se o uso em mulheres de idade entre 9 e 26 anos, de preferência naquelas que ainda não mantiveram relações sexuais. O esquema de vacinação consiste em 3 doses: aos 0, 2 e 6 meses.  VOLTA

Vacina contra Zoster

Aplicada em pessoas acima de 50 anos de vida que apresentam potencial maior de desenvolver a doença. Pacientes que já apresentaram o quadro devem também se proteger pois o risco de reincidência é grande. VOLTA

Vacina contra a Febre Tifóide

Vacina de uso injetável, destinada aos habitantes e viajentes que procuram áreas de alta incidência da doença (no Brasil principalmente as Regiões Norte e Nordeste). A dose única pode ser aplicada a partir dos 2 anos de idade e o reforço realizado a cada 3 anos, se as condições ambientais persistirem. VOLTA

HOME